ppi

que tudo ao meu redor me assusta. que eu não tenho a minima noção de quem sou. como pode chegar aos 27 anos e ter crise de identidade? achei que isso aconteceria aos 50 e eu compraria um carro esportivo. na verdade eu achei que só acontecia com os  homens. mas esta acontecendo comigo aos 27. todos os meus valores sendo questionados. eu gosto do que eu gosto? minha comida favorita não é mais minha comida favorita. desconcertante. é assim que me sinto. perdida. sem saber do futuro. sem entender o presente.

que eu não sei qual é o meu próximo passo. me sinto confusa. me sinto feliz e infeliz ao mesmo tempo. sinto que a maioria das coisas que eu quis não deu certo. sinto que eu fico carregando todos os planos fracassados no ombro. sinto pouca esperança pro futuro. os filhos que eu via se formar ficam distantes. ficam embaçados. tudo está embaçado. 

talvez eu perdi a fé. talvez eu perdi a esperança. eu com certeza perdi a motivação. como se a vida tivesse escapado pelos meus dedos como areia e eu nem percebi. eu me sinto um zumbi perto dos outros. eles tem tantos sonhos. eu não acredito mais em sonhos. eu não acredito mais em planos. eles sempre falham. 

mas não é culpa só minha. eu carrego uma dor no coração que nunca vai embora. eu acredito que ela nunca vai embora. um dor de algo que levou um pedaço de mim. e não vai mais voltar.

eu e meu marido nos casamos e resolvemos comprar um cachorrinho. no dia 9 de novembro de 2013. era um lhasa apso, apesar de todo mundo achar que era shitzu, eu queria colocar o nome de sir william, mais concordamos em bartolomeu. nos compramos ele porque ele era o cachorro mais barato do pet shop. mas no momento que eu peguei ele no colo , ele me beijou, ali eu me vendi.

Ali começaria nossa família. seguiria os filhos. as viagens. as empresas. os milhões. ali começaria nossa vida. em 7 de marco desse ano. 6 e pouco da tarde. nos estávamos passeando com ele como um dia qualquer. uma sexta feira. ele escapou da minha mão. e foi atropelado na nossa frente. ele faleceu um hora depois. e ali morreu um parte de mim. uma parte de mim que eu não consigo recuperar. eu simplesmente não consigo.

nos seguimos nossa vida. a gente é muito novo pra parar e deixar uma tragedia marcar as nossas vidas. compramos a charllotte, uma shitzu, que é a unica coisa que nos salva da loucura. mas seria mentira, se eu falasse que não me sinto uma pessoa amputada. andando por aí sem um pedaço da perna.

levaram um pedaço de mim. levaram minha habilidade de acreditar em coisas boas, de acreditar no futuro. de sonhar. levaram. a vida tem esse costume de levar as coisas.

e como eu fico? não sei. mancando. metade de mim chora, metade de mim tenta sorrir. metade de mim não crê em mais nada, metade de mim ainda sonha com os filhos que me esperam. metade de mim tem medo do que os próximos anos podem trazer, metade de mim reza que o pior já passou. enfim. 

mas tudo que eu sei hoje é que eu continuo respirando.

Raquel Link

p.s: em homenagem ao bartolomeu que vai viver eternamente nos nossos corações.

Advertisements